Cagliero11 e Intenção Missionária Salesiana - março 2017

Intenção missionária ano 2017 | Scarica il file zip

Intencion MisioneraScarica il file zip Cagliero11 Scarica il file zip

MARÇO
Intenção Missionária Salesiana
À LUZ DA INTENÇÃO DE ORAÇÃO DO SANTO PADRE

Pelos Salesianos no Oriente Médio Para que os Salesianos continuem a ser sinais de fé e esperança entre os cristãos perseguidos do Oriente Médio.

Os Salesianos continuem com sua presença em lugares delicados de conflito: Síria, Sudão, Tunísia, Egito, Palestina, Irã, Israel, Turquia, Líbano. Nesses países, que também são lugares de antigas e profundas raízes cristãs, os discípulos de Cristo são considerados como estrangeiros. Os Salesianos, mediante a sua missão de educadores e testemunhas de Cristo entre os cristãos discriminados, perseguidos no contexto islâmico, fazem sentir o afeto, a solidariedade, a comunhão e a fé da Igreja universal.


N. 99 - Março de 2017Boletim de Animação Missionária SalesianaUma publicação do Setor das Missões para as Comunidades Salesianas e os Amigos das Missões Salesianas“A voz do Beato Oscar Romero continua a ressoar hoje para nos recordar que a Igreja, convocação de irmãos ao redor do seu Senhor, é a família deDeus, onde não pode haver divisão alguma. A fé em Jesus Cristo, retamenteentendida e vivida até às suas derradeiras consequências, gera comunidadesartífices de paz e de solidariedade. A isto é chamada hoje a Igreja em El Salvador, na América, em todo o Mundo, isto é: a ser rica de misericórdia e a tornarse fermento de reconciliação para a Sociedade.

Dom Romero convida-nos ao bom senso e à reflexão, ao respeito pelavida e à concórdia. É necessário renunciar à «violência da espada, do ódio», eviver «a violência do amor, que nos deixou Cristo pregado numa cruz, aquelaque cada um deve fazer a si mesmo para vencer os próprios egoísmos e paraque não haja desigualdades tão cruéis entre nós». Ele soube ver – e experimentou na sua própria carne – «o egoísmo que se insinua em quantos não queremceder o que é seu para alcançar os outros». E, com um coração de pai, preocupou-se com as «maiorias pobres», pedindo aos poderosos que transformassem «as armas em foices para otrabalho».

Quem considera Dom Romero um amigo na Fé, aqueles que o invocam como protetor e intercessor,quantos admiram a sua figura, possam todos encontrar nele a força e a coragem para edificar o Reino deDeus e para se comprometer em favor de uma ordem social mais equitativa e mais digna!
PAPA FRANCISCO(da Carta por ocasião da Beatifacação deDom Romero, 23 de maio de 2015)Vencer a violência do ódio com a virulência do amorC aros Irmãos e Amigos,em seu apelo missionário de 8 de dezembro de 2016 o Reitor-Mor nos dizia: “Há presenças da Congregação que já não conseguimos sustentar, porque em alguns paísesdos cinco Continentes faltam salesianos… Penso de modo particular nos jovens que nos esperam no contexto do Projeto Europa, no Oriente Médio, nos países de maioria islâmica, nasilhas da Oceânia, no Sudão do Sul, na Mongólia, na Sibéria, no Camboja e na Malásia, comotambém entre os jovens migrantes do Continente americano e em muitos outros lugares!”O curioso é que nos parece estar a ouvir o próprio Dom Bosco. Parece-nos vê-lo em seu aposento de Valdocco, no segundo andar, girando e regirando um globo terrestre, a olhar paratodos os lugares da Terra aonde queria enviar seus filhos.

Poderíamos, quiçá, parar em cada uma dessas nações e frentes missionárias juvenis e, emprimeiro lugar, rezar por elas; em segundo, buscar informações sobre elas; e, em terceiro lugar, torná-lasconhecidas. Desse modo, nem a indiferença, nem a ignorância nos poderão paralisar...

“Dom Bosco está vivo!” – repete-nos o Reitor-Mor. E muito vivo! Sobretudo quando quer manter desperto o espírito missionário em cada um dos seus filhos.

Obrigado e... avante!P. Guillermo Basañes SDBConselheiro para as Missões
24 de Marçomartírio do Bv. Oscar RomeroDIA EM MEMÓRIA DOS MISSIONÁRIOS MÁRTIRES Intenção Missionária SalesianaOs Salesianos continuem com sua presença em lugares delicados de conflito: Síria, Sudão, Tunísia, Egito, Palestina, Irã, Israel, Turquia, Líbano. Nesses países, que também são lugares de antigas e profundas raízes cristãs, os discípulos de Cristo são considerados como estrangeiros. OsSalesianos, mediante a sua missão de educadores e testemunhas de Cristo entre os cristãos discriminados, perseguidos no contexto islâmico, fazem sentir o afeto, a solidariedade, a comunhão e a fé da Igreja Católica, isto é, universal.


Testemunho de santidade missionária salesianaP. Pierluigi Cameroni SDB, Postulador Geral para as Causas dos Santos
O Venerável P. José Vandor (1909-1979), salesiano, missionário húngaro em Cuba, deu sempre umagrande atenção à formação dos jovens aprendizes pertencentes sobretudo a famílias pobres; e paraeles não hesitava em pedir ajuda: “Esta escola para Aprendizes de ofícios tem como finalidade a formação de trabalhadores técnica e praticamente preparados. Os nossos alunos são quase todos filhos deQuando conheci os Salesianos, toda a Congregação era plena de fervor missionário. Enão só devido ao Projeto África mas também porque o P. Viganó pedira a cada Inspetoria assumir um território missionário. Muitos salesianos da minha Inspetoria jáhaviam partido para as Missões. O meu coração estava inquieto porque também eusentia aquele chamado interior de deixar as plagas conhecidas e fixar meu coraçãonas amplezas do mar.

Quando o meu pedido foi aceito, minha alegria inicial virou incredulidade ao constatar que seria enviado a Papua-Nova Guiné...: “Sobreviverei em lugar tão difícil?”. Osmeus temores e anseios tornaram-se mui cedo uma firme vontade de aprender bem alíngua e a cultura dessa que agora seria a “minha gente”! Com mais quatro Coirmãos salesianos iniciamos uma novapresença na Capital. Dom Bosco então era praticamente desconhecido no País. Mas é árduo ser pioneiro: tivemos deimprovisar tudo. Entretanto, foram anos cheios de iniciativas, de entusiasmo, de alegria. Depois da minha ordenaçãosacerdotal fui novamente enviado àquela obra. Dessa vez trabalhamos por formar osnossos Leigos colaboradores autóctones. Iniciamos também o primeiro grupo de Salesianos Cooperadores e a Associação de Maria Auxiliadora (ADMA). Literalmente, viadiante dos meus olhos o carisma salesiano fincar raízes.

Um dia, o Inspetor me disse que a Conferência Episcopal me pedia ser o Diretor do Instituto Litúrgico-Catequético Nacional. Inicialmente recusei por ser um campo totalmente novo para mim: não queria passar além dos horizontes conhecidos!Entretanto, mais uma vez, estava inquieto: sentia-me instigado no profundo do meuser a avançar para além dos temores que me queriam destroçar!Agora, olhando para trás, dou-me conta que o acompanhar a obra de evangelização das 23 Dioceses, alargou os meus horizontes eclesiais e missionários!Mais tarde, enquanto trabalhava em minha tese em Roma, recebi improvisamente um telefonema do Conselheiro para as Missões, com que me pedia tomar parte do Setor das Missões. Dessa vez fiquei profundamente perturbado. Mas também compreendi que Deus me convidava a sair da minha fortaleza intelectual e a aprender novamentea ter confiança nEle e a fazer-me ao largo mais uma vez. Só aceitei depois de um agoniante discernimento. Agora,depois de ter-me encontrado com os missionários nos Cinco Continentes, com frequência em situações difíceis, agradeço pela perspectiva mundial da Congregação que pude formar.

Já estava a me preparar para concluir o meu serviço no Setor das Missões. E eis que o Reitor-Mor me chamaao seu escritório e pede-me para ser o Superior da nova Visitadoria de Papua-Nova Guiné-Ilhas Salomão. Enquanto meexplicava Sua opção, minha mente se atravancava por entre perguntas e dúvidas: entretanto, mais uma vez, sentiuma voz interior que me impelia alvoroçante a ousar, a fazer-me novamente ao largo!Eis o Missionário para mim: viver num permanente estado de inquietude, sempre pronto a ousar o improvável, a fim de aprender a confiar naquele Deus que nos convida a fixar constantemente os nossos corações à frente. Àfrente e para o Alto!P. Alfred Maravilla SDBFilipino, missionário na Papua-Nova GuinéPELOS SALESIANOS NO ORIENTE MÉDIOPara que os Salesianos continuem a ser sinais de fé e esperança entre oscristãos perseguidos do Oriente Médio.

PERMANENTEMENTE ‘INQUIETO’ BUSCANDO FAZER-ME AO LARGO!

INIZIO

Intenções Missionárias Salesianas
à luz das Intenções de Oração do Santo Padre para 2017


JANEIRO
POR TODOS OS SALESIANOS
Para que sejam sempre e em todos os lugares homens de Igreja e de unidade.

FEVEREIRO
PELOS SALESIANOS NAS AMÉRICAS
Para que mantenham vivo neles o amor de Jesus pelos jovens pobres.

MARÇO
PELOS SALESIANOS NO ORIENTE MÉDIO
Para que os Salesianos continuem a ser sinais de fé e esperança entre os cristãos perseguidos do Oriente Médio.

ABRIL
PELAS VOCAÇÕES SALESIANAS
Para que cada comunidade salesiana saiba irradiar a alegria do chamado.

MAIO
PELOS SALESIANOS NA ÁFRICA E MADAGASCAR
Para que saibam educar os jovens na dimensão social da caridade sendo profetas misericordiosos de justiça e paz.

JUNHO
PELOS SALESIANOS QUE TRABALHAM EM REGIÕES DE CONFLITO
Para que sejam construtores de paz mediante a arma da “educação” e do anúncio do “Príncipe da Paz”.

JULHO
PELOS SALESIANOS NA EUROPA
Para que o Projeto missionário Europa da Congregação dê fruto abundante.

AGOSTO
PELOS SALESIANOS NA OCEÂNIA
Para que compartilhem com os jovens a beleza da sua vocação.

SETEMBRO
PELA 148ª EXPEDIÇÃO MISSIONÁRIA
Para que cada Salesiano seja missionário segundo o coração de Dom Bosco.

OUTUBRO
PELOS SALESIANOS NOS CENTROS DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL
Para que os Centros de Formação Profissional continuem a ser escolas de desenvolvimento e humanismo cristão no mundo do trabalho.

NOVEMBRO
PELOS SALESIANOS NA ÁSIA
Para que sejam artífices de comunhão na diversidade.

DEZEMBRO
PELOS SALESIANOS IDOSOS E ENFERMOS
Para que continuem a irradiar a alegria do chamado e sejam intercessores de abundantes graças de Deus para a missão salesiana.