Conselho Recursos

Newsletter - maio 2012

Você está recebendo este boletim porque é o Delegado, ou o ponto de referência, da Comunicação Social 
Você tem algum problema lendo este correio eletrónico?Examine-o em seu browser..

SSCS

Boletim n. 33.   maio de 2012

Uma olhada
Noticias breves

P. Plathottam nomeado diretor do Niscort

George P.

A Assembleia permanente da Conferência Episcopal Indiana (CBCI), reunida em Bangalore de 25 a 27 de abril, nomeou o salesiano P. George Plathottam para Diretor do Instituto Nacional de Pesquisa e Formação sobre Comunicação Social (NISCORT).
     A nomeação do P. Plathottam, que desde 2008 cumpre o ofício de Secretário Executivo da Comissão para a Comunicação Social da CBCI, chega após a morte do P. Jacob Srampickal SJ, que iria assumir esse encargo de diretor do Niscort (de que fora cofundador) no próximo mês de junho. Embora desempenhando esta nova incumbência, o salesiano manterá o seu atual encargo na Comissão de Comunicação Social da CBCI.
     O P. Plathottam, da Inspetoria de Guwahati, doutorou-se em Comunicação na ‘North Eastern Hill University’, de Shillong, Índia, e três 'masters': em teologia; sociologia; jornalismo e comunicação multimídia. Foi diretor do Departamento para a Mídia do St. Anthony’s College e Presidente da Associação da Imprensa Católica Indiana (ICPA). Por longo tempo membro da Comissão Internacional dos Consultores de Comunicação da Sociedade Salesiana, é autor de numerosos livros e artigos sobre o tema Mídia.
     Quando assumir o encargo, em junho, o P. Plathottam tornar-se-á o terceiro diretor do Niscort, depois do P. Sebasti L. Raj SJ e do P. Jude Botelho.
     O Niscort, cuja sede está em Vaishali, na região metropolitana de Délhi, oferece três 'masters' e vários cursos com certificado na área da comunicação. Nos últimos quinze anos o Centro formou numerosos profissionais de mídia, entre os quais muitos sacerdotes, religiosos, religiosas, leigos, empenhados na comunicação pastoral.

Lisbõa: Delegados CS, Europa

Lisboa

Depois de um ano, os Delegados para a Comunicação Social das Inspetorias Salesianas da Europa voltaram a encontrar-se, em Lisboa, para avaliar a situação. Entre a atenção à evolução da comunicação, sobretudo na área digital, e a partilha de algumas iniciativas emergiu um tema novo: a espiritualidade do salesiano comunicador.
     “Estamos interessados por conhecer e partilhar a espiritualidade do salesiano comunicador não como um conteúdo novo mas como a experiência interior de quem se ocupa de comunicação – sublinhou o P. Filiberto González, Conselheiro para a Comunicação social –. Salesianos, e nos últimos tempos cada vez mais leigos, estão empenhados neste campo que, como todo âmbito pastoral, implica empenho e, por vezes, outrossim exaustão interior. Não é secundário para nós, empenhados na comunicação social, recordar constantemente as nossas duas paixões: Deus e os jovens”.
     Amplo espaço foi dedicado à apresentação do trabalho que se realiza nas 23 Inspetorias representadas em Lisboa, na casa das Irmãs Franciscanas Hospitaleiras da Imaculada Conceição”. Reuniram-se como convidados também um Salesiano e uma Leiga da Inspetoria do Brasil-Recife (BRE).
     É o terceiro ano que o Dicastério para a Comunicação Social promove encontros com os Delegados de CS em nível europeu, a fim de obter uma visão e oferecer uma contribuição continental.
     Emergiu um quadro variado de caminhos e iniciativas que, de um lado, evidencia um forte empenho de algumas inspetorias e, por outro, um resfriamento e diminuição de interesse em outras, na área da comunicação. Diferentes tornaram-se também a qualidade e a modalidade de colaboração no interior das Inspetorias, entre os setores da Missão salesiana: PJ, Missões e CS. Se por um lado está bem desenvolvida a presença das Inspetorias nos webs (sítios institucionais e de obras) e a missão juvenil (sítios MJS e revistas multimídia); por outro, falta uma ação intencional à formação inicial e, sobretudo, permanente do salesiano.
     Das relações apresentadas mostrou-se o empenho em algumas Inspetorias em apresentar e aplicar o Sistema Salesiano de Comunicação Social renovado e apresentado há pouco mais de um ano.

Deixou-nos Pierre Babin

Pierre Babin

No dia 9 de maio passado, aos 87 anos, deixou-nos Pierre Babin, Missionário Oblato de Maria Imaculada, grande especialista em comunicação religiosa. Foi fundador do Centro de Pesquisa e Educação em Comunicação (CREC), onde se formaram centenas de comunicadores, sobretudo dos continentes africano e asiático, e criador da “via simbólica”, para a nova evangelização.
     Nascido em Paray-le-Monial (França) em 1925, entrou no ano de 1942 para a Congregação dos Oblatos de Maria Imaculada (OMI); foi ordenado sacerdote em 1949. Fez seus estudos de teologia na Universidade Católica de Lião, especializando-se na relação entre teologia e psicologia. Em 1955 iniciou a docência universitária: antes na França (Lião, Paris, Estrasburgo), depois no Canadá (Otava, Montreal) e na Tailândia (Bangkok). Nos anos 80s e 90s foi também docente convidado na Universidade Pontifícia Salesiana, de Roma, por ocasião de várias reuniões e seminários.
      Em Lião, em 1971, Pierre Babin fundou o CREC, especializado em formar à mídia e à comunicação membros das instituições cristãs. Publica um grande número entre artigos e livros, onde nos mostra um constante empenho por conciliar a comunicação midial com a provocação evangélica a partir da uma fecunda integração das idéias do catequeta Joseph Colomb e do ‘massmidiólogo’ Marshall McLuhan, com o qual estivera em contato e do qual deduzira algumas idéias que havia aplicado à comunicação em âmbito eclesial e missionário.
     Em 2011, ano do centenário da nascimento de Marshall McLuhan, recebeu um prêmio intitulado À Memória do Educador e Comunicador Canadense.
     A sua proposta reconhece à “imagem” uma verdadeira supremacia relativamente a toda a forma de comunicação “oral” (a ‘imagem’ entendida em sentido amplo, de forma a incluir símbolo, intuição, música, som. Para ele a linguagem audiovisual é muito mais que um simples instrumento pedagógico funcional para a transmissão da mensagem da fé. De ali a proposta da “via simbólica”, termo com que Babin indica uma atitude espiritual; é, antes que um método didático para facilitar a aprendizagem, uma nova maneira de entrar em contato com a realidade e a cultura.
     Os funerais celebraram-se em Lião, no dia 12 de maio, na ‘Chapelle’ de S. Francisco de Assis.

banner

Você quer preparar um banner para sdb.org? Você pode se preparar para um dia de festa próxima, ou para o tema da Estréias, ou outros .... dimensões 570x165 px.

Enviar a un amigo

¿Cónoces a alguien que podría estar interesado en este e-mail? ¿Por qué no se lo reenviás?

Reuniões

Guadalajara-México: SC Delegados, América. 04-07 agosto em Guadalajara, e 7-09 agosto na Cidade do México.

     
Animação - Carta do P. Filiberto
Fili

Caríssimos Irmãos e amigos da CS,
 desde a metade de abril até à metade de maio, estivemos realizando encontros mui significativos: de editoras, gráficas e rádios, da América; de Delegados Inspetoriais para a CS, da Europa; de Referentes do Projeto Europa (PE); do EuroClip Dom Bosco; de Formandos e Formadores dos SDB e das FMA, da Itália, com o que celebramos o Dia da CS; de Diretores Inspetoriais de BSs.
     Desejo agora apontar dois aspectos – transversais, fundamentais e complementares –, que têm surgido desses encontros e que se vem repetindo, e que vale a pena pois continuar aprofundando.
     * O primeiro é encontrar os elementos específicos de espiritualidade para o salesiano comunicador. É preciso achar e encarnar alguns elementos específicos da espiritualidade salesiana, que mantenham viva e crescente a vocação e o gosto pela missão entre os jovens mais necessitados, numa cultura e sociedade multimídias, de oportunidades e de riscos para salesianos e para leigos. Não se trata de inventar uma nova espiritualidade, mas de indicar os elementos próprios que sustentem a vocação tanto do salesiano quanto do leigo que devotam sua vida a Deus, aos irmãos e aos jovens na CS. Se é verdade que as pessoas não podem não-comunicar, então é preciso converter-nos em garimpeiros de Deus a fim de que, enamorados e cheios dEle, O comuniquemos aos jovens: porque essa é a nossa missão, i. é, tornar realidade a afirmação de que ‘o meio é a mensagem’.
     * O segundo é o da inserção do carisma na nova cultura digital. Trata-se de uma realidade irreversível e veloz. Todos – quem mais, quem menos – usamos internete e consumimos tecnologia digital. Portanto, não se trata de ‘ser ou não ser’, mas de saber como ser e para que ser. Estamos perante a maior oportunidade salesiana de viver no continente mais habitado pelos jovens: o continente digital. É a maior oportunidade que se nos oferece de testemunhar Deus, Jesus Cristo e seu Evangelho, a milhões de jovens, que têm sede de Cristo e têm direito a Ele. É por isso que urge mudar de mentalidade, multiplicar lugares de encontro com os jovens, aprender a usar novas tecnologias e novas linguagens. Quem lhes falará de Deus, a esses milhões de jovens dispersos pelo ‘continente digital’? Quem lhes manifestará o Seu amor?   Eia, pois! Já não se trata de gosto, mas de fidelidade.
     Uno-me à Equipe do Dicastério para a CS para desejar a todos, «Uma feliz Festa de Maria Auxiliadora!».
Fraternamente em Dom Bosco Santo
P. Filiberto González,
Conselheiro para a comunicação social.

Informação : Boletin Salesiano - estatística

Em nível continental, as edições do BS aumentam onde as presenças salesianas são mais recentes ou ainda em fase de expansão (África, Ásia, Oceânia). Permanecem estáveis nos países onde a presença já está historicamente radicada (América, Europa). Relativamente a isso, vão-se introduzindo novas línguas de publicação, como o vietnamita, o tétum, o kannada… (em países orientais), e cresce o peso do francês (falado em muitos países africanos). O espanhol reveste o número mais alto de edições, acompanhado pelo inglês; alguns são bi/trilíngues.
     Quase a metade das edições são bimestrais; uma dezena, mensais; as demais aparecem com uma frequência menor: de 2-3 números ao ano.
     Também o número de exemplares difundido varia sensivelmente: dos poucos milhares das edições mais jovens aos mais de 4 milhões da tiragem anual do BS italiano, fundado pelo mesmo Dom Bosco. Somando as tiragens dos BS, calculam-se em perto de mais de 8,5 milhões de exemplares anuais, no mundo.
     Mui variada e equilibrada é a oferta dos conteúdos, que vão desde a Espiritualidade Salesiana aos Jovens, da Educação às Missões, das Reflexões internacionais às Realidade locais… Igualmente multifacetado é o leque dos leitores, sinal de que mediamente os BS conseguem interceptar os gostos de todas as faixas de idade.
     Da análise vieram à tona ao mesmo tempo alguns desafios e temas sensíveis de alcance geral. A difusão dos BS, p. ex., é na maioria dos casos feita pelos mesmos salesianos; é por isso, em tal sentido, indispensável incentivar à promoção do BS também os membros externos à Congregação, i. é, os membros da cada vez mais numerosa Família Salesiana (FS). Isto se torna ainda mais necessário quando cada vez com maior freqüência os BS dispõem também – e, em certos casos, “somente” – de uma versão digital.
     A presença em rede é certamente um desafio a mais: atualmente a quase totalidade dos BS estão em internet, mas com presença quase sempre estática. O objetivo é produzir uma migração rumo a uma presença mais participativa, através das redes sociais, e, secundariamente, rumo à adoção de padrões mais desenvolvidos do web semântico.
     Outros temas sensíveis emersos da pesquisa foram: as modalidades de apresentação da carta mensal que o Reitor-Mor escreve expressamente para o BS; a presença da publicidade; e a necessidade de passar da idéia de um “diretor factótum” àquela de uma Equipe de Redação.

Formação: Silêncio e Palavra
Silencio et Palavra

Foi uma autêntica festa da comunicação o dia de formação feito sábado 12 de maio, na Universidade Pontifícia Salesiana, que teve como protagonistas os Jovens religiosos SDB e FMA.
     Organizada pelo Dicastério e pelo Âmbito para a Comunicação Social dos SDB e FMA, pela Pontifícia Faculdade das Ciências da Educação “Auxilium” e pela Faculdade de Ciências da Comunicação Social da UPS (FSC), o dia teve como tema central a Mensagem do Papa para o 46º Dia Mundial das Comunicações Sociais, i. é, “Silêncio e Palavra: caminho de evangelização”.
    Cerca de 120 Jovens – SDB e FMA – acompanhados por seus formadores/as (noviços, noviças, pós-noviços, juniores, estudantes de teologia) reuniram-se para refletir, dialogar, rezar e experienciar os conteúdos oferecidos pela Mensagem dp Santo Padre.
     Aberto pelas saudações da Ir. Giuseppina Teruggi, do P. Filiberto González e do P. Mauro Mantovani, neo-decano da FSC, o encontro  desenrolou-se em várias fases.
     A primeira, de natureza acadêmica, foi conduzida pelo P. Franco Lever e pela Ir. Maria Antonia Chinello, que apresentaram e aprofundaram o binômio ‘Silêncio e Palavra’. O percurso pôs em evidência definições, potencialidades e problemáticas dos dois termos no ser humano e no seu processo de comunicação. O confronto e o diálogo sucessivos entre os jovens religiosos em fase de formação e os dois docentes se construíram por perguntas inerentes à ação pastoral e carismática salesianas, à formação pessoal de cada qual e à vida comunitária.
     Silêncio e Palavra estiveram também no centro da oração feita pelo fim da manhã: uma celebração enriquecida por gestos e símbolos, que apresentou uma experiência de espiritualidade construída sobre as linguagens da comunicação humana.
     De tarde realizou-se a terceira fase, a mais experiencial: os jovens religiosos debateram a segunda parte da Mensagem do Papa: “caminho de evangelização”; os laboratórios (sobre teatro, dicção, música, cinema, vídeo, redação, ‘social networks’ e organização de eventos) permitiram conhecer modalidades e iniciativas úteis a uma pastoral muito mais eficiente.
     Os dois Conselheiros para a Comunicação, P. González e Ir. Teruggi, encerraram o dia auspiciando que a iniciativa possa tornar-se modelo para outras experiências semelhantes em nível inspetorial e local, envolvendo Salesianos e Filhas de Maria Auxiliadora empenhados na formação à comunicação dos Jovens religiosos e religiosas e na animação das comunidades educativo-pastorais.

Produção: Dicionário FSC online
dictionary

A dez anos da sua publicação, o dicionário “A comunicação. Dicionário de ciências e técnicas”, da Faculdade de Ciências da Comunicação Social, da Universidade Pontifícia Salesiana (UPS) pode ser consultado em internete. www.lacomunicazione.it
  O que está sendo posto à disposição de todos é muito mais do que a transposição do texto impresso em formato digital. De fato, uma simples inscrição gratuita permite, além disso, explorar-lhe todas as potencialidades e transformar o dicionário num instrumento personalizado de trabalho e de pesquisa.
     O projeto nasceu e se desenvolveu com o Instituto de Ciências da Comunicação Social (ISCOS), da UPS, de Roma, instituído em 1988, ano centenário da morte de Dom Bosco, e que em 1998 se tornou a ‘Faculdade de Ciências da Comunicação Social’ (FSC). O Dicionário queria ser, ao menos inicialmente, um espaço privilegiado de reflexão e diálogo entre Professores e Colaboradores da Faculdade, a fim de individuar linhas teóricas fortes, em condição de favorecer-lhes a coesão e o projeto cultural. Num segundo momento, também graças ao confronto e à colaboração com Professores de outras Universidades – italianas e estrangeiras –, ele adotou uma abertura mais ampla, tornando-se preciosa ocasião de diálogo com a comunidade científica.
     Cuidam da obra três docentes da Faculdade: Franco Lever, Pier Cesare Rivoltella e Adriano Zanacchi. A versão impressa (com a anexa versão digital em CD-card) foi apresentada oficialmente ao Salão Internacional do livro de Turim em maio de 2002. A nova versão, preparada especialmente para a internete, por Paolo Sparaci, ele também docente na FSC, e enriquecida por muitas novas funções, já está disponível on line desde 21 de abril.
     A obra destina-se a estudantes universitários orientados à comunicação; aos profissionais da comunicação (jornalistas, agentes, sacerdotes, educadores, políticos, empresários…); e a quem tiver interesse por compreender as novas tecnologias. Constante é a atenção dada à educação e às exigências de uma comunicação que queira dizer-se cristã.
     Graças a uma inscrição gratuita é possível personalizar o Dicionário com notas à margem, inserir contribuições e listas de preferências. Os utentes registrados podem mandar sugestões; apontar eventuais erros; contribuir para o aprofundamento dos textos publicados; e também participar da redação de verbetes para novos vocábulos.
      O Dicionário está por ora só em italiano. Mas – como precisa o P. Franco Lever – “a obra foi concebida para servir ao maior número possível de leitores; por isso, a proposta de traduções ou adaptações de verbetes a outras línguas não só se aceita: também se deseja”.