Conselho Recursos

Implicações formativas do CG26

ORIENTAÇÕES - CARTAS

Implicações formativas do Capítulo Geral 26

logo

DIREÇÃO GERAL OBRAS DOM BOSCO
Via della Pisana, 1111 – 00163 ROMA

O Conselheiro geral para a Formação

Roma, 6 de maio de 2008
Carta 01

Aos Reverendos Senhores
Coordenadores regionais de formação
Delegados inspetoriais de formação
Nas próprias sedes.

Caríssimos Coordenadores e Delegados,

espero que todos estejam passando bem. Depois do CG26, que foi para mim uma experiência intensa e inesquecível, já estamos prontos para dar os primeiros passos e retomar juntos a caminhada. Agradeço antes de tudo àqueles que me mandaram parabéns e augúrios após a minha reeleição para o dicastério da formação. Escrevo-lhes agora para comunicar-lhes algumas informações, sugestões e indicações para este ano de 2008.

1. Implicações formativas do Capítulo Geral 26

No mês de junho estarão prontos os Atos do CG26. A tal respeito sugiro que envolvam a Comissão inspetorial de formação e dediquem tempos a refletir sobre o documento capitular. Parece-me importante que a Comissão inspetorial mantenha consciência e se responsabilize pela aplicação do CG26 no área da formação. A Comissão poderá individuar “os empenhos que derivam do CG26 para a formação permanente e para a formação inicial”, em nível de irmão, de comunidade local e de inspetoria.

2. Projeto do dicastério para o sexênio 2008-2014

Em fevereiro de 2007 estudamos com os Coordenadores regionais a situação da formação na Congregação, nos seus aspectos positivos e nos seus pontos fracos. Tal reflexão confluiu para a Relação do Reitor-Mor ao CG26. Fundados pois nessa Relação e nas orientações tomadas pelo Capítulo geral, o dicastério está preparando a parte do projeto do Reitor-Mor e do Conselho para o sexênio 2008-2014 relativa ao setor da formação. Quando estiver pronta, apressar-me-ei em fazer-lha conhecer.

3. Encontro das Comissões regionais de formação

Durante este ano, segundo o calendário já concordado com os senhores, teremos o encontro das Comissões regionais de formação. Nesse encontro, entre os assuntos, veremos o projeto do Reitor-Mor e do Conselho para o sexênio, concernente à formação. Debateremos juntos também as reflexões a que chegaram com a Comissão inspetorial acerca “dos empenhos que decorrem do CG26 para a formação permanente e a formação inicial”.

4. Projeto inspetorial de formação

Algumas inspetorias já terminaram o projeto inspetorial de formação; a maior parte das inspetorias pediu entretanto poder concluí-lo até ao fim deste ano de 2008; vejam se conseguem terminá-lo dentro desse período. Aconselha-se que tal projeto abranja seis anos. Esse deveria ser revisto e atualizado depois de um Capítulo Geral e durar até ao Capítulo Geral seguinte. Desse modo o projeto inspetorial poderia assumir os empenhos decorrentes do CG e inspirar-se para alguns aspectos no projeto do Reitor-Mor e do Conselho para o sexênio, na parte que se refere à formação. Além disso todas as inspetorias resultariam melhor coordenadas no seu trabalho.

Para aliviar a comunicação com os Inspetores, estou enviando esta carta apenas aos Delegados. Aos senhores estabelecer e manter o entrosamento com o Inspetor. Poderão entregar-lhe esta carta, se ele a quiser. Seja como for, será bem oportuno que lhe comuniquem a ele os empenhos do setor.

Agradeço-lhes, e às suas Comissões inspetoriais de formação, pelo trabalho formativo que desenvolvem nas inspetorias e pela colaboração com o dicastério. Neste mês de maio confiemo-nos ao Divino Espírito Santo, a N. Sra. Auxiliadora e aos Santos salesianos que havemos de lembrar.

Saúdo-os com muita estima, agradecimento e afeto. Em Dom Bosco Santo,

P. Francesco Cereda