Conselho Recursos

Leitura de alguns dados estatísticos de 2010

FORMAÇÃO - CARTA

stemma
DIREZIONE GENERALE OPERE DON BOSCO
Via della Pisana 1111 - 00163 Roma

O Conselheiro geral para a formação

Roma, 3 de março de 2011
Prot. 11/0060

Ao Reverendo
Delegado inspetorial da formação
Em sua Sede

Para conhecimento
Ao Reverendo
Padre Inspetor
Em sua Sede

 

Objeto: Leitura de alguns dados estatísticos de 2010

 

Caríssimos Delegados,

                               no início de cada ano, estudam-se no Conselho geral os dados estatísticos da Congregação relativos ao ano anterior. Creio ser útil que sejam conhecidos também nas Inspetorias, pois nos convidam a refletir; por isso, submeto-os à sua atenção.

Formação inicial na Congregação

Ano

Noviços
(*)

Noviços
que saíram

Neo-professos
(*)

Temporários
que
saíram

Neo-professos
perpétuos

Neo-perpétuos
clérigos

Neo-perpétuos
coadjutores

Neo-
sacerdotes

2002

607

137

 

231

249

217

32

262

2003

580

111

470

225

254

221

33

218

2004

594

118

469

211

281

242 + 1P

38

203

2005

621

151

476

237

249

219 + 2P

28

230

2006

561

137

470

227

260

221 + 2P

37

192

2007

527

110

424

200

219

205

14

175

2008

557

121

417

216

220

200

20

222

2009

526

109

436

225

265

246

19

195

2010

532

 

417

222

177

161+1P

15

203

* Para se ler as primeiras três colunas, é preciso esta atenção: os noviços que entram num determinado ano fazem a primeira profissão no ano seguinte; portanto, os noviços que saíram resultam da diferença entre os noviços que entraram num determinado ano e os que professaram no ano seguinte. Por exemplo: em 2002 entraram 607 noviços e em 2003 professaram 470 neo-professos; portanto, a diferença entre os noviços que entraram em 2002 e os noviços que professaram no ano seguinte 2003 é de 137 noviços; esse número é colocado na linha "noviços que saíram" relativos a 2002. Em 2010 entraram 532 noviços, mas saberemos o número dos neo-professos e, portanto, dos noviços que saíram somente no final de 2011.

Formação permanente na Congregação

Ano

Perpétuos clérigos que saíram

Perpétuos coadjutores que
saíram

Dispensa celibato diáconos

Dispensa celibato padres

Exclaus-tração

Seculariz. previo experimento

Seculariz.
simpliciter

Demissão

2002

8

12

3

15

18

7

11

24

2003

10

14

4

11

10

3

10

25

2004

14

15

3

20

14

9

12

26

2005

11

15

1

15

10

9

10

26

2006

13

10

3

27

11

11

11

26

2007

15

11

3

18

9

12

18

24

2008

8

6

5

18

5

12

14

24

2009

12

13

2

9

6

14

10

36

2010

9

9

1

11

0

29

8

38

* para a leitura das colunas relativas às dispensas do celibato, secularizações e demissões, os números não se referem àqueles para os quais se apresentou o pedido num determinado ano, mas àqueles para os quais o processo chegou ao final num determinado ano.

Noviços segundo as Regiões

Ano

América
Cone Sul

América
Interamérica

Europa
Oeste

Itália
Oriente Médio

Europa
Norte

África
Madagascar

Ásia Leste
Oceania

Ásia
Sul

2002

76

110

11

43

71

55

80

135

2003

69

111

6

27

59

84

79

144

2004

86

98

12

25

51

92

84

145

2005

97

92

14

18

71

95

74

160

2006

76

88

3

22

47

92

75

158

2007

76

97

6

22

51

94

73

108

2008

58

105

4

18

48

100

89

135

2009

64

91

8

24

40

89

64

146

2010

40

73

1

18

55

114

93

138

TOT

642

865

65

217

493

815

711

1269

Destaques quantitativos

Ao ver as estatísticas, deve-se primeiramente agradecer a Deus pelas vocações que nos envia; isso significa que a vida consagrada salesiana mantém sua capacidade de atração. Entretanto, há alguns dados preocupantes, que continuam irresolvidos e exigem uma maior tomada de consciência e uma consideração atenta. Enfim, na leitura dos dados do período 2001-2010 parece que 2007 é um momento discriminante, que será, portanto, objeto de atenção.

1. Os noviços que entraram noviciado em 2010 foram 532. De 2002 a 2006, os noviços eram, em média, cerca de 585 por ano. Após 2007, a média anual resulta de 530; houve, portanto, nesse período uma queda vocacional de cerca de 55 noviços por ano, ou 9,4% a menos em relação à média dos noviços do período 2002-2006. Este é o primeiro dado preocupante.
2. Os noviços que saíram durante o noviciado no período 2002-2009 foram 994 num total de 4573 noviços que entraram; isso significa que na média anual de 571 noviços saíram em média 122 deles, ou 21% dos noviços que entraram. Entre 2002 e 2006, na média anual de 585, saíram anualmente a média de 130 noviços, ou cerca de 23%; enquanto entre 2007 e 2009, na média de 540 noviços por ano, saiu a média de 113, ou mais ou menos 20%. Portanto, as saídas durante o noviciado tendem a, proporcionalmente, diminuir um pouco. Trata-se de um dado levemente positivo.

3. Os professos temporários que saíram nos anos 2002-2010 foram em média 220 irmãos por ano; de 2002 a 2006, a média anual era de 226 professos temporários que saíram; de 2007 a 2010, houve a média de 224 professos temporários que saíram. Neste segundo período não só não tivemos uma inversão de tendência, como a situação também piorou, tendo em vista a diminuição dos professos temporários no período, devido à diminuição dos noviços. Este é o segundo dado preocupante.

4. Os professos perpétuos de 2002 a 2010 eram em média 249 por ano. De 2002 a 2006 os professos perpétuos foram, em média, 258 por ano, e de 2007 a 2010, a média anual foi de 215. Em 2010, tivemos apenas 177 professos perpétuos; isso se deve também à diminuição dos noviços e às constantes saídas de professos temporários a partir de 2002. E este é o terceiro dado preocupante.

5. Os salesianos coadjutores professos perpétuos que entraram de 2002 a 2006 foram em média 33 por ano, enquanto de 2007 a 2010 foram em média 17 por ano; nota-se uma queda também neste caso. Os salesianos coadjutores professos perpétuos que saíram de 2002 a 2006 foram em média 13 por ano, enquanto de 2007 a 2010 foram em média mais ou menos 10 por ano. Considerados os professos perpétuos que entraram, preocupa o numero dos salesianos coadjutores professos perpétuos que saíram que, em proporção ao segundo período, estão em aumento.

6. Os salesianos presbíteros ordenados de 2002 a 2006 foram em média 221 por ano; de 2007 a 2010 foram em média 198 por ano. Os salesianos presbíteros que saíram por dispensa do celibato, por secularização "praevio experimento" ou "simpliciter" ou por demissões entre 2002 e 2006 foram: 88 + 39 + 54 + 127 = 308, com média anual de 61 presbíteros. De 2007 a 2010 foram: 56 + 67 + 50 + 122 = 295, com média anual de mais ou menos 76. Também estes dois dados das ordenações presbiterais e das saídas de presbíteros são negativos.

7. A proporção entre salesianos coadjutores e clérigos no final de 2010 foi de 1 para 7. De 2002 a 2006, a proporção dos neo-professos coadjutores, em relação aos neo-professos clérigos, era da ordem de 1 para 8; de 2007 a 2010, a proporção dos neo-professos coadjutores, em relação aos neo-professos clérigos era de 1 para 10. Enquanto de 2002 a 2006 a proporção dos neo-perpétuos coadjutores em relação aos neo-perpétuos clérigos era da ordem de 1 para 7, de 2007 a 2010, era da ordem de 1 para 12. Como se vê, também a situação numérica dos salesianos coadjutores está em diminuição.

8. O andamento vocacional regional também merece atenção. De 2002 a 2010, olhando o número dos noviços, deve-se notar uma forte queda vocacional na Europa Oeste, Itália - Oriente Médio e América - Cone Sul; há um aumento na Ásia Leste; e, enfim, nos últimos anos, há um forte crescimento na África - Madagascar. As vocações diminuem, portanto, de modo preocupante em cinco Regiões, mantêm-se constantes em uma, e aumentam em duas.

Destaques qualitativos

Após a leitura quantitativa dos dados, é preciso fazer uma leitura qualitativa. Devemos colocar-nos, então, algumas questões. Por que diminui o número dos noviços? Por que ainda há um número consistente de noviços que saem durante o noviciado? Por que continua a sair grande número de irmãos durante a profissão temporária? Por que tantos salesianos presbíteros pedem para passar à diocese? Por que aumenta o número das demissões da Congregação? Os dados poderiam sugerir-nos ainda outras questões.

Podem-se encontrar respostas para essas questões olhando a formação inicial e a formação permanente, a pastoral juvenil e a cultura da Inspetoria... O nosso setor para a formação ofereceu algumas avaliações para compreender as situações e ajudas para superá-las; às vezes, falta uma reflexão sobre esses fenômenos e, portanto, as soluções encontradas não são eficazes. Urge, então, uma reflexão quantitativa e, sobretudo, qualitativa, também em nível inspetorial e regional; é preciso habituar-nos à leitura anual dos dados estatísticos para perceber situações e tendências.

Na formação inicial, as causas poderiam ser buscadas na frágil organização do aspirantado e do pré-noviciado, no discernimento insuficiente, na pouca consideração do contexto familiar, na escassa ajuda psicológica, na falta de acompanhamento, na fragilidade ou falta de preparação das equipes formadoras... Na formação permanente, as causas dos abandonos e saídas poderiam depender da frágil cultura inspetorial, do estilo de vida e de trabalho da comunidade, da solidão, da secularização interna das comunidades, do insuficiente exercício da autoridade, da fraca vida espiritual...

Exemplos de intervenções operativas a ativar

Dever-se-iam estudar na animação vocacional as modalidades da animação vocacional local, envolvendo todas as comunidades salesianas e todas as comunidades educativo-pastorais, fazendo com que cresça a cultura vocacional, valorizando as oportunidades vocacionais do Movimento Juvenil Salesiano (AJS). Não deveríamos transcurar a oração pelas vocações e a proposta da vocação do salesiano coadjutor... Deus chama continuamente, em todos os contextos e em todas as culturas (cf. Const. 28); podemos esperar, portanto, o dom das vocações consagradas salesianas.

Deveríamos diminuir, na formação inicial, o número dos formandos que deixam durante o noviciado e a profissão temporária. É preciso dar atenção ao acompanhamento. Faz-se necessário o aprofundamento da identidade da vida consagrada salesiana, o cuidado na preparação para a profissão perpétua, a atenção ao tirocínio, a valorização pastoral dos jovens salesianos, ajudando-os a centrar a própria vida na dedicação apostólica (cf. Const. 46).

Precisaríamos diminuir, na formação permanente, o número daqueles que deixam a Congregação ou o sacerdócio. É preciso focalizar mais a fase da primeira inserção nas responsabilidades, com atenção ao "quinquênio"; devem-se considerar, ainda, com maior atenção os problemas ligados à fidelidade vocacional. É preciso levar em conta o clima da comunidade tanto local quanto inspetorial e a alegria que os irmãos encontram na realização da missão salesiana.

Ofereci-lhes algumas reflexões à margem dos dados estatísticos; convido-os a compartilhar esta carta, à luz da própria situação inspetorial, com os Diretores, os formadores, a Comissão inspetorial para a formação, o Inspetor e o Conselho inspetorial.

Confiemo-nos aos cuidados e à proteção da Virgem Auxiliadora, a sábia mestra de Dom Bosco, para que nos guie e sustente em nossa caminhada.

Saudações cordiais,

P. Francesco Cereda

 

Formazione iniziale nella Reg. Africa-Madagascar

Anno

Novizi

Novizi usciti

Neo-professi

Temporanei usciti

Professi
perpetui

Perpetui  chierici

Perpetui
coadiutori

Neo- sacerdoti

2002

55

11

 

18

28

21

7

10

2003

84

24

44

16

16

14

2

23

2004

92

15

60

31

33

24

9

17

2005

95

9

77

33

27

23

4

20

2006

92

16

86

39

38

33

5

16

2007

94

17

76

25

36

31

5

30

2008

100

19

77

30

29

25

4

36

2009

89

16

81

37

42

40

2

31

2010

114

 

73

37

37

32 + 1P

4

19

Formazione continua nella Reg. Africa-Madagascar

Anno

Perpetui chierici usciti

Perpetui coadiutori usciti

Dispensa celibato diaconi

Dispensa celibato preti

Esclau-strazione

Secolariz. experimen-tum

Secolariz.
simpli-citer

Dimissione

2002

 

4

 

2

2

 

1

 

2003

 

1

1

 

 

 

 

1

2004

1

2

 

 

 

 

 

2

2005

1

1

 

 

 

1

2

4

2006

 

 

 

1

1

 

 

2

2007

 

1

 

1

1

1

1

2

2008

2

 

 

 

 

1

 

3

2009

2

3

 

 

 

2

 

 

2010

1

 

 

3

 

 

1

1

Formazione iniziale nella Reg. America Cono Sud

Anno

Novizi

Novizi usciti

Neo-professi

Temporanei usciti

Professi
perpetui

Perpetui  chierici

Perpetui
coadiutori

Neo- sacerdoti

2002

76

20

 

45

19

15

4

32

2003

69

15

56

38

29

26

3

21

2004

86

16

54

31

22

18

4

15

2005

97

23

70

42

24

19 + 1P

4

14

2006

76

25

74

47

24

19

5

17

2007

76

18

51

26

22

21

1

10

2008

58

18

58

40

32

29

3

22

2009

64

11

40

36

28

21

7

24

2010

40

 

53

41

13

11

2

25

Formazione continua nella Reg. America Cono Sud

Anno

Perpetui chierici usciti

Perpetui coadiutori usciti

Dispensa celibato diaconi

Dispensa celibato preti

Esclau-strazione

Secolariz. experimen-tum

Secolariz.
simpli-citer

Dimissione

2002

 

 

 

4

1

1

1

5

2003

2

6

 

4

1

 

2

4

2004

5

2

 

7

3

 

5

5

2005

1

1

 

4

2

1

2

5

2006

 

2

1

5

3

6

2

4

2007

2

4

 

4

2

1

 

 

2008

 

1

1

3

 

1

3

6

2009

1

1

1

5

2

2

2

1

2010

1

4

 

1

 

4

 

3

I 4 perpetui coadiutori usciti sono da: BBH 2, BRE 1, CAM 1
I temporanei usciti sono da: BCG 9, BBH 6, BRE 5, BSP 5, CIL 5, PAR 5….

Formazione iniziale nella Reg. Interamerica

Anno

Novizi

Novizi usciti

Neo-professi

Temporanei usciti

Professi
perpetui

Perpetui  chierici

Perpetui
coadiutori

Neo- sacerdoti

2002

110

35

 

47

40

35

5

29

2003

111

30

75

52

29

26

3

43

2004

98

27

81

57

39

35

4

28

2005

92

30

71

50

43

39

4

32

2006

88

26

62

43

26

18

8

27

2007

97

29

62

46

21

21

 

25

2008

105

23

68

40

19

19

 

21

2009

91

29

61

61

33

30

3

23

2010

73

 

62

41

15

12

3

23

Formazione continua nella Reg. Interamerica

Anno

Perpetui chierici usciti

Perpetui coadiutori usciti

Dispensa celibato diaconi

Dispensa celibato preti

Esclau-strazione

Secolariz. experimen-tum

Secolariz.
simpli-citer

Dimissione

2002

1

 

3

1

5

 

 

3

2003

2

2

1

2

2

1

2

7

2004

2

4

1

3

 

1

2

4

2005

1

5

 

1

2

1

 

1

2006

4

1

 

8

3

1

1

5

2007

2

1

1

2

 

2

1

1

2008

2

1

1

5

2

4

4

4

2009

3

5

 

1

2

3

2

5

2010

1

1

 

2

 

8

 

7

Novizi usciti = 29 su 91 pari a 32%
Temporanei usciti: BOL 7, COB 7, ECU 6….
Secolarizzazione ad exper. CAM 4

Formazione iniziale nella Reg. Asia Est - Oceania

Anno

Novizi

Novizi usciti

Neo-professi

Temporanei usciti

Professi
perpetui

Perpetui  chierici

Perpetui
coadiutori

Neo- sacerdoti

2002

80

21

 

9

25

18

7

22

2003

79

18

59

12

28

23

5

15

2004

84

20

61

11

37

32

5

17

2005

74

26

64

24

22

16

6

33

2006

75

23

48

23

25

23

2

25

2007

73

8

52

22

25

22

3

29

2008

89

19

65

19

22

21

1

21

2009

64

14

70

17

22

21

1

11

2010

93

 

50

19

25

24

1

26

Formazione continua nella Reg. Asia Est - Oceania

Anno

Perpetui chierici usciti

Perpetui coadiutori usciti

Dispensa celibato diaconi

Dispensa celibato preti

Esclau-strazione

Secolariz. experimen-tum

Secolariz.
simpli-citer

Dimissione

2002

2

2

 

1

4

 

1

3

2003

 

 

 

 

 

1

 

2

2004

 

1

 

1

 

 

 

3

2005

2

1

 

1

 

 

 

1

2006

1

1

1

2

 

1

 

1

2007

4

1

 

1

 

 

1

2

2008

1

1

2

1

 

 

 

2

2009

2

1

 

 

 

 

1

6

2010

 

1

1

 

 

1

3

5

Formazione iniziale nella Reg. Asia Sud

Anno

Novizi

Novizi usciti

Neo-professi

Temporanei usciti

Professi
perpetui

Perpetui  chierici

Perpetui
coadiutori

Neo- sacerdoti

2002

135

32

 

45

48

47

1

56

2003

144

29

103

40

53

50

3

62

2004

145

25

115

38

72

67

5

54

2005

160

34

120

47

48

43

5

49

2006

158

35

126

53

87

76

11

35

2007

108

18

123

50

66

64

2

26

2008

135

22

90

57

63

57

6

65

2009

146

18

113

43

56

54

2

59

2010

138

 

128

64

50

49

1

63

Formazione continua nella Reg. Asia Sud

Anno

Perpetui chierici usciti

Perpetui coadiutori usciti

Dispensa celibato diaconi

Dispensa celibato preti

Esclau-strazione

Secolariz. experimen-tum

Secolariz.
simpli-citer

Dimissione

2002

2

1

 

 

1

 

 

2

2003

2

1

 

 

1

 

 

4

2004

4

 

 

1

1

3

1

4

2005

2

1

 

1

1

 

 

3

2006

5

1

1

 

 

2

3

2

2007

4

2

 

2

 

2

4

4

2008

2

1

1

 

 

 

1

2

2009

3

 

1

 

 

 

 

1

2010

5

 

 

1

 

3

1

7

Temporanei usciti: INH 9, IND 6, INK 6, INM 6, INT 5, LKC 4, INB 4….

Formazione iniziale nella Reg. Europa Nord

Anno

Novizi

Novizi usciti

Neo-professi

Temporanei usciti

Professi
perpetui

Perpetui  chierici

Perpetui
coadiutori

Neo- sacerdoti

2002

71

17

 

41

49

45

4

63

2003

59

19

54

49

63

52

11

29

2004

51

7

40

28

46

38

8

41

2005

71

26

44

24

51

47

4

43

2006

47

13

45

13

25

22

3

43

2007

51

18

34

24

23

21

2

36

2008

48

17

33

17

23

22

1

23

2009

40

15

31

18

34

33

1

24

2010

55

 

25

13

25

22

3

20

Formazione continua nella Reg. Europa Nord

Anno

Perpetui chierici usciti

Perpetui coadiutori usciti

Dispensa celibato diaconi

Dispensa celibato preti

Esclau-strazione

Secolariz. experimen-tum

Secolariz.
simpli-citer

Dimissione

2002

3

2

 

1

 

5

2

4

2003

2

 

2

2

1

1

3

4

2004

3

2

 

4

 

4

 

2

2005

3

3

 

6

2

1

2

8

2006

1

3

 

2

1

 

1

8

2007

2

1

2

 

2

2

7

10

2008

1

 

1

4

1

2

3

5

2009

1

1

 

1

 

4

2

4

2010

 

2

 

 

 

9

3

9

Novizi usciti: 15 su 40 pari a 37.5%

Formazione iniziale nella Reg. Europa Ovest

Anno

Novizi

Novizi usciti

Neo-professi

Temporanei usciti

Professi
perpetui

Perpetui  chierici

Perpetui
coadiutori

Neo- sacerdoti

2002

11

 

 

15

14

14

 

23

2003

6

2

11

8

14

11

3

5

2004

12

2

4

10

5

5

 

14

2005

14

5

10

6

12

12

 

10

2006

3

1

9

2

6

6

 

5

2007

6

1

2

1

5

5

 

2

2008

4

 

5

4

4

3

1

10

2009

8

4

4

3

6

6

 

7

2010

1

 

4

4

1

1

 

5

Formazione continua nella Reg. Europa Ovest

Anno

Perpetui chierici usciti

Perpetui coadiutori usciti

Dispensa celibato diaconi

Dispensa celibato preti

Esclau-strazione

Secolariz. experimen-tum

Secolariz.
simpli-citer

Dimissione

2002

 

3

 

2

3

3

 

3

2003

1

2

 

3

 

 

 

 

2004

 

4

1

3

5

 

2

4

2005

 

 

 

 

 

2

2

4

2006

1

2

 

3

3

 

 

3

2007

1

1

 

3

2

2

1

5

2008

 

2

 

1

 

1

 

 

2009

1

1

 

1

1

2

1

4

2010

1

1

 

 

 

1

 

4

Novizi usciti: 4 su 8 pari a 50%

Formazione iniziale nella Reg. Italia - MOR

Anno

Novizi

Novizi usciti

Neo-professi

Temporanei usciti

Professi
perpetui

Perpetui  chierici

Perpetui
coadiutori

Neo- sacerdoti

2002

43

6

 

12

31

27

4

27

2003

27

4

37

8

22

19

3

20

2004

25

4

23

8

25

22

3

16

2005

18

1

21

11

21

20

1

29

2006

22

3

17

5

27

24

3

23

2007

22

1

19

6

21

20

1

18

2008

18

3

21

9

28

24

4

24

2009

24

2

15

10

33

30

3

16

2010

18

 

22

3

11

10

1

22

Formazione continua nella Reg. Italia - MOR

Anno

Perpetui chierici usciti

Perpetui coadiutori usciti

Dispensa celibato diaconi

Dispensa celibato preti

Esclau-strazione

Secolariz. experimen-tum

Secolariz.
simpli-citer

Dimissione

2002

 

1

 

3

1

2

2

3

2003

1

2

 

 

4

 

2

2

2004

 

 

1

1

5

1

1

2

2005

1

2

 

2

3

2

2

1

2006

1

 

 

5

 

2

3

1

2007

 

 

 

5

2

1

3

 

2008

 

 

 

3

2

3

3

1

2009

 

1

 

1

1

1

2

 

2010

 

 

 

4

 

3

 

2