Conselho Recursos

Estudos salesianos

DOCUMENTOS DO DICASTÉRIO DE LA FORMAÇÃO

 

 

Orientações sobre estudos salesianos na formação inicial

Orientações sobre estudos salesianos na formação inicial

Pe. Francesco CEREDA
Conselheiro geral para a Formação

Roma, 27 de julho de 2005
Prot. 05/0650

REVERENDOS SENHORES INSPETORES
DELEGADOS INSPETORIAIS DE FORMAÇÃO
DIRETORES DAS COMUNIDADES DE FORMAÇÃO
DIRETORES DOS CENTROS DE ESTUDO


Objeto: Orientações sobre estudos salesianos na formação inicial

 

CARÍSSIMOS INSPETORES, DELEGADOS, DIRETORES, DIRETORES ACADÊMICOS:


partindo da ‘Ratio’ e do Projeto do Reitor-Mor e do seu Conselho para os anos 2002-2008, o Dicastério da Formação tomou em consideração as dificuldades encontradas para a realização dos estudos salesianos durante a formação inicial e procurou concretizar um programa específico para cada fase.

Preparou-se assim antes de tudo uma hipótese-proposta. Foram a seguir consultadas as Comissões regionais de formação e alguns especialistas, que expressaram tanto um amplo consenso quanto algumas sugestões. Estou agora em condições de apresentar a toda a Congregação as “Orientações acerca dos estudos salesianos na formação inicial”, que foram aprovadas pelo Reitor-Mor e o seu Conselho geral na sessão de hoje. Ficarão 'ad experimentum' até o mês de julho de 2009.

* O ponto de partida das “Orientações” é o que está exarado no Anexo 3 da “Ratio” a respeito das disciplinas salesianas. As indicações desse Anexo foram aqui expressas em cursos de ensino, segundo uma formalidade científica: por título, conteúdo e método. Os conteúdos dos vários cursos são sucessivos e não se repetem nas várias fases.
* A respeito da “Ratio”: há algumas variações. O estudo das “Memórias do Oratório” considera-se mais adaptado ao tempo de noviciado, sendo o estudo da “História da Congregação e da Obra salesiana” levado ao pós-noviciado. Sente-se além disso a necessidade de acrescentar um curso de “Introdução ao estudo das fontes salesianas” e um de “Hagiografia salesiana”. Considera-se enfim mais profícuo fazer um único programa para a formação específica, quer do salesiano presbítero, quer do salesiano coadjutor.
* São indicadas as fontes a serem utilizadas nos vários cursos. Elas foram distribuídas de modo que as mais importantes no fim do curso sejam conhecidas. Não é possível de fato se ter uma boa preparação salesiana, sem haurir diretamente das devidas fontes. Com freqüência para as fontes já existem edições críticas e bons estudos de introdução, que aparecem indicados.
* São propostos como textos, ou seja, como autênticos manuais científicos dos cursos para uso dos alunos, aqueles estudos já existentes dignos de serem indicados a toda a Congregação. Para aqueles cursos que ainda não dispõem de textos, deseja-se que se possam produzir logo a seguir.
* Na falta dos textos, são sugeridos subsídios para a preparação do docente e para o eventual aprofundamento do estudante. Os subsídios indicados estão em língua italiana; mas o professor pode também utilizar os que certamente existem em outras línguas.
Estas “Orientações” constituem um quadro de referência para uma aplicação progressiva. As situações da Congregação são de tal forma variadas que não se poderá aplicar tudo imediatamente quanto aqui se está a propor. E’ importante fazer bem o que se está em condições de fazer e, tendo presente a orientação da caminhada, dar todos os anos passos de melhoria. Destas indicações nascem algumas opções, que requerem ser praticadas a curto e a médio prazo.


OPÇÕES DAS INSPETORIAS E DAS COMUNIDADES DE FORMAÇÃO


1. Qualificação dos professores em estudos salesianos
Para cumprir este programa é necessária a preparação dos professores. Para eles, nas Regiões, se ministram ou se devem organizar cursos de atualização. A nova licença em Teologia Espiritual orientada para os “estudos salesianos” da UPS – Universidade Pontifícia Salesiana, de Roma – é uma oportunidade para a sua qualificação.

2. Tradução de fontes e textos
Este programa indica quais sejam as fontes e os textos cujas traduções nas línguas internacionais se devam garantir, segundo a decisão tomada pelo Reitor-Mor e o seu Conselho geral, em julho de 2004.

3. Estudo da língua italiana
As fontes salesianas estão na língua italiana, como também uma parte notável da literatura salesiana, antiga e moderna. Não obstante a vontade do Reitor-Mor e do Conselho de proceder às traduções, permanece o fato de que o conhecimento do italiano possibilita a leitura das fontes e dos estudos na língua original. Portanto, é muito importante a indicação da Ratio acerca do estudo de tal língua pelos jovens salesianos em formação (FSDB 156, 365); obviamente tal conhecimento é indispensável para os professores das disciplinas salesianas.

4. Bibliotecas de estudos salesianos
No programa indicam-se fontes e textos para cada uma das disciplinas. Trata-se apenas de indicações parciais, visto que se produzem continuamente novas fontes em edição crítica, e novos estudos. Por isso nas comunidades de formação é preciso criar, e manter atualizadas, as bibliotecas de estudos salesianos.

5. Créditos dos cursos de estudo
Para as fases do pós-noviciado e da formação específica pede-se que cada curso indicado tenha pelo menos dois créditos por semestre, venham inseridos no horário acadêmico do centro de estudo, sejam tratados por professores do centro, sejam avaliados com exame. Para as fases do noviciado e do pré-noviciado, por ora não estamos em condições de indicar de quantos créditos tais cursos precisem.


Agradeço-lhes pela atenção e solicitude voltadas à concretização de tais “Orientações”. Julgamos que este pode ser um passo que nos deixará mais preparados para as celebrações do Bicentenário de Nascimento de Dom Bosco em 2015. Aproveito da oportunidade para saudá-los cordialmente.

 

P. FRANCESCO CEREDA