Conselho Recursos

Cagliero11 aprile 2015

MISSIONI


MISSIONI - Cagliero 11

1 2

Titolo notiziario
Nome società
N. 76 - Abril de 2015
Boletim de Animação Missionária Salesiana
Uma publicação do Setor das Missões para as Comunidades salesianas e os Amigos das missões salesianas
Akash Bashir
19 anos, Ex-aluno
sa les i ano d e
Lahor, Paquistão.
Seu nome e
sangue encheram
a última parte do
nosso percurso de
Quaresma em
2015. O ‘ódio à
Fé’ é condição ‘sine qua non’ para que
a Igreja declare uma pessoa ‘mártir’.
Neste caso, não deveria haver dúvidas:
mártir logo!
Neste mês rezamos pelos jovens
cristãos no Oriente Médio e do norte
da África. Deixemo-nos, ao mesmo
tempo, iluminar pelo comovente
exemplo de Akash. Jovem ainda, intuiu
de pronto e a pôs em prática, a
essência do Evangelho: dar a vida
pelos irmãos! ‘Se o grão de trigo cai na
terra e morre dá muito fruto’.
P o r t r á s d e t o d a a
disponibilidade missionária – e de cada
projeto de voluntariado salesiano –
deveria estar presente este desejo: dar
a vida pelo outro, pelos outros. Ou,
dizendo-o à moda do Zeferino
Namuncurá, “ser útil à minha gente”.
Obrigado, meu caro Akash! Tua
vida foi “útil” – tão útil – à tua gente!
Tentaremos imitar-te!
A todos, Votos de Fecunda Páscoa
do Senhor !
P. Guillermo Basañes SDB
Conselheiro para as Missões
O guarda-herói – que domingo, 15 de
março de 2015, em Lahore, Paquistão,
impediu que o camicase, do grupo “Jamaat
ul Ahrar”, entrasse na Igreja de ‘St. John’,
católica, repleta de Fiéis para a Santa Missa –
chamava-se Akash Bashir. Era um jovem ex-
aluno da Escola Técnica Salesiana, sita no
bairro Yuhannabad, de maioria cristã. Não
teve dúvidas: abraçou o invasor, fazendo-se
escudo com o corpo. Perdeu a vida. Salvou a
de muitas Pessoas.
A k a s h , n a
q u a l i d a d e d e
segurança (‘security
guard’), estava com
um seu colega no
portão da Igreja para o
controle de quem nela
entrava. Quando o
camicase se aproximou
da entrada, tentando
superar com violência
aos dois jovens guardas, Akash o deteve. E percebendo a carga
explosiva que o invasor portava por debaixo do estranho pulôver,
o abraçou. A explosão lhe decepou a parte inferior do corpo.
Foi graças a ele se o número das vítimas acertadas não foi
terrivelmente superior ao que se haviam proposto os
atentadores.
“Como minoria cristã, há momentos em que a nossa única
esperança repousa no auxílio de Deus e da sua Mãe, Maria” –
comentam os Salesianos, em Lahore.
Ex-Aluno Salesiano
Dá a Vida
para Salvar
Outros Cristãos



A todos os nossos leitores A todos os nossos leitores
FELIZ PÁSCOA! FELIZ PÁSCOA!Intenção Missionária Salesiana
Para que os Jovens que sofrem variadas formas de perseguição e marginalização
persistam firmes na Fé em Jesus Cristo.
A intenção é um forte apelo à abertura de coração em favor dos refugiados de todo o
mundo, e particularmente dos refugiados do Oriente Médio, em sua maioria árabes
cristãos, não-muçulmanos. Somos chamados a acolher esses irmãos cristãos que, por causa
de sua Fé, são expulsos por aqueles que desejam criar um Oriente Médio e um Norte da
África sem... cristãos.
Tornei-me missionário para seguir a vontade de Deus
Pelos Jovens Cristãos do Oriente Médio e do norte da África
que sofrem pela Fé
A passagem frequente de missionários pela minha terra natal, Ponte de Vagos,
Aveiro – Portugal, foi, realmente, um marco importante. Eles mesmos
contavam, de viva voz, as suas histórias fantásticas, com a ajuda de algum
filme e imagens. Faziam-nos sonhar e questionar-nos acerca da possibilidade de
seguir o seu exemplo de levar a Boa Notícia a tantas pessoas que, em nossos dias,
ainda desconhecem ou não aderiram à proposta de Jesus Cristo. Embora não tivesse
a oportunidade de continuar os meus estudos de forma regular, a ideia e o desejo de
partir foi ficando ao longo da minha juventude. Entrementes, fui adquirindo
bagagem no mundo do trabalho, passando pela construção civil, pela serralharia e
pelo trabalho de escritório. Contudo, somente depois de ter realizado o serviço
militar obrigatório se reuniram as condições para empreender a grande aventura!
Iniciei os estudos secundários, enquanto fazia a
experiência de aspirantado e pré-noviciado; seguiram-se um ano de
noviciado, três de filosofia na Espanha, dois de prática de vida salesiana em
Portugal e cinco de estudo em Roma, onde concluí a Licença em Teologia e o
Mestrado em Missiologia.
Depois de quatro anos de vida missionária em Cabo Verde, a serviço
da Inspetoria Portuguesa, encontro-me, desde outubro de 2013, integrado na
Visitadoria de Moçambique. A decisão de me entregar nas mãos do Reitor-
Mor, para servir a missão salesiana ‘ad gentes’, não deixou de suscitar
algumas interrogações nas pessoas que me conheciam e nos próprios irmãos
da Inspetoria: afinal, Portugal faz parte de um conjunto de países onde,
atualmente, há tantas pessoas que sequer conhecem Jesus Cristo ou que
necessitam aprofundar a sua própria Fé… Por que, então, ir para tão longe, quando há tantas necessidades à porta
de casa?! Isto é realmente uma verdade e um mistério, a que eu não sei responder… Apenas procuro realizar
aquilo que percebo ser a vontade de Deus para a minha vida e na qual me sinto feliz!
O conhecimento de Dom Bosco e da vida salesiana, associado ao percurso de estudos realizados,
juntamente com o Curso de preparação dos novos missionários feito em Roma e Turim, deram-me o ânimo
necessário para seguir em frente, apostando na missão salesiana no mundo, a serviço dos jovens, especialmente,
dos mais pobres.
As alegrias e os desafios com que nos defrontramos e vivemos por estas terras de missão são muitos… Mas
o maior desafio mesmo é ter a coragem de experimentar e deixar que Deus realize em cada um de nós a Sua santa
Vontade .
P. Jorge Bento
português, missionário em Moçambique


Testemunho de Santidade Missionária Salesiana
O Bv. P. Filipe Rinaldi (1858-1931), III Sucessor de Dom Bosco, cujo 25° de Beatificação
ocorre no dia 29 de abril (1990-2015), foi um grande promotor da Obra missionária da
Congregação. Numa Carta Circular escreveu: “Não esqueceremos que no coração do nosso bom
Pai Dom Bosco se haviam acumulado, havia anos, os anseios de Francisco Xavier, alimentados
pela Luz superna que lhe ia iluminando o futuro por meio de sonhos… Revejo-o, a esse
amadíssimo Pai, nas longínquas lembranças da minha vocação, exatamente nos anos do seu
maior fervor missionário. Disso me ficou uma impressão indelével. Dom Bosco era um
verdadeiro missionário, um apóstolo devorado pela paixão das almas”.