Conselho Recursos

Processos a realizar após o Capítulo inspetorial 16-07-2016


SOCIEDADE DE SÃO FRANCISCO DE SALES
casa geral salesiana
Via della Pisana 1111 - 00163 Roma
O Vigário do Reitor-Mor

             

Roma, 16 de julho de 2016
Prot. n. 16/0279

Aos Reverendos
Inspetores e Superiores
Em suas sedes

Objeto: Processos a realizar após o Capítulo inspetorial

Caríssimo Inspetor,

            Escrevo-lhe esperando encontrá-lo com boa saúde física e espiritual.
Nos encontros da sessão de verão do Conselho Geral, que estamos para concluir, dedicamos tempo para a aprovação dos Capítulo inspetoriais. Estamos contentes pelo trabalho que as Inspetorias realizaram e, por isso, agradecemos. Para nós, este estudo foi exigente, mas estamos cientes de que isso fará aumentar o carisma de Dom Bosco em nossas presenças.
Nos próximos dias lhe chegará, ou já chegou, a carta de aprovação escrita pelo Secretário Geral, P. Stefano Vanoli, em nome do Reitor-Mor e do Conselho Geral. Tal carta deve ser dada a conhecer, juntamente com os documentos do Capítulo Inspetorial modificados segundo as indicações oferecidas.
Como Conselho Geral, interrogamo-nos sobre como acompanhar, agora, esse itinerário, de modo que o trabalho feito possa encontrar caminhos de concretização. Ofereço-lhe, pois, algumas indicações em relação aos dois temas que propusemos e foram enfrentados no Capítulo Inspetorial.

1. Processos de acolhida do CG27 e do Capítulo inspetorial
Sobre este primeiro tema, os Capítulos inspetoriais escolheram, em geral, a metodologia da avaliação. Vendo o que o CG27 propõe nos três núcleos fundamentais – místicos, profetas e servos – os Capítulos inspetoriais indicaram os aspectos já adquiridos pela Inspetoria ou estão em vias de aquisição, os que ainda são frágeis ou carentes, os passos que se compromete a dar.
O Conselho Geral pediu para integrar no documento capitular alguns elementos que pareciam ausentes. Foram estes os acréscimos mais importantes indicados às Inspetorias: empenho de cada irmão para ter um guia espiritual; promoção da vocação salesiana em suas duas formas ministerial e laical; integração da pastoral familiar na pastoral juvenil; formação dos irmãos à afetividade, tanto na formação inicial como permanente; entrega de responsabilidades aos leigos e formação conjunta de Salesianos e leigos; formação missionária; zelo para ser comunicadores na nova cultura digital.
Como continuar agora o caminho pós-Capítulo inspetorial sobre este tema? A fim de assumir concretamente as orientações do CG27 e do Capítulo inspetorial sugerimos três caminhos, relativos respectivamente ao irmão, à comunidade salesiana, a Inspetoria. Não se trata de acolher apenas as nossas orientações, mas tudo o que os Capítulos inspetorias indicaram.
O irmão, inspirando-se no CG27 e nas opções do Capítulo inspetorial, coloque anualmente no seu projeto pessoal de vida os aspectos dos quais precisa para poder crescer como místico no Espírito, profeta de fraternidade, servo dos jovens.
A comunidade local, inspirando-se no CG27 e nas opções do Capítulo inspetorial, assuma anualmente em seu projeto comunitário de vida o que encontra de fragilidade na própria vida e o que a ajuda a caminhar em sintonia com a Inspetoria e a Congregação.
A Inspetoria, sempre se inspirando no CG27 e nas opções do Capítulo inspetorial, integre no projeto orgânico inspetorial as exigências mais importantes para a sua vitalidade. De fato, não pode passar em silêncio no percurso da Inspetoria o que o CG27 propôs a toda a Congregação.

2. Plano inspetorial de redesenho das presenças salesianas
Sobre o redesenho das presenças salesianas na Inspetoria, os Capítulos inspetoriais indicaram alguns critérios para a sua realização; alguns Capítulo também tomaram em consideração todas as obras, indicando as intervenções a fazer. O redesenho deve ter clara a sua finalidade, que é garantir a vitalidade do carisma na Inspetoria e não a sobrevivência das obras.
O trabalho de redesenho não termina com o Capítulo inspetorial. Por isso, o Reitor-Mor e o Conselho Geral pedem um novo empenho às Inspetorias. Sobre isso, é indicado na carta de aprovação: “O Capítulo inspetorial ofereceu alguns critérios para o redesenho das presenças salesianas da Inspetoria; cabe agora ao Inspetor com o seu Conselho concretizá-las e assumir as decisões consequentes. Pede-se, por isso, ao Inspetor com o seu Conselho que envie ao Secretário geral o plano de redesenho das presenças da Inspetoria até o dia 31 de maio de 2017”. Trata-se concretamente de indicar no plano prioridades, tempos, recursos.
Na carta de aprovação a cada Inspetoria são indicadas situações particulares a enfrentar para elaborar este plano. Em geral, é necessário que o plano:

  • estabeleça os tempos e modos para garantir a consistência quantitativa e qualitativa das comunidades salesianas e a consistência qualitativa das comunidades educativo-pastorais, também com a escolha de leigos idôneos;
  • estabeleça as tarefas de responsabilidade confiadas aos leigos, especialmente em âmbitos administrativos e gerenciais, mas também pastorais; quais tarefas confiar aos Salesianos; quais obras confiar à gestão laical sob a responsabilidade inspetorial;
  • estabeleça como realizar as orientações do Capítulo inspetorial sobre cada obra;
  • individualize modalidades para a animação vocacional inspetorial e especialmente a local, dando atenção à vocação consagrada salesiana em suas duas formas ministerial e laical, garantindo o acompanhamento espiritual dos jovens, envolvendo os leigos;
  • estabeleça como e em quais obras concretizar a atenção aos jovens pobres, migrantes...;
  • individualize os tempos para a qualificação dos irmãos, especialmente em estudos salesianos, pastoral juvenil, formação dos formadores;
  • determine intervenções para favorecer o espírito missionário e suscitar vocações missionárias disponíveis para as missões inspetoriais, para o projeto Europa e para a Congregação;
  • garanta a sustentabilidade de cada obra, indicando as obras que precisam da intervenção da solidariedade inspetorial.

Convém recordar, enfim, que cabe ao Inspetor com o seu Conselho tomar as decisões sobre as obras, especialmente para as aberturas e os encerramentos, e solicitar as necessárias autorizações ao Reitor-Mor e ao Conselho Geral. Isso significa que o Reitor-Mor e o Conselho Geral têm aprovado os critérios sobre o redesenho, mas não as decisões que os Capítulo inspetoriais indicaram; isto tem o próprio procedimento de aprovação segundo as nossas Constituições.
Enquanto renova os mais vivos agradecimentos pelo trabalho feito, garanto a minha lembrança na oração por você, pelos irmãos e as comunidades. Em Dom Bosco,

 
Descrizione: CEREDA - Firma.jpg
P. Francesco Cereda