Reitor-Mor

Mensagem: perante a situação que se está a viver na Venezuela

Aqui estou nestes dias em visita de animação a esta presença salesiana, em Kakuma, Quênia, onde os meus Coirmãos salesianos operam, faz anos, dentro do campo de refugiados das Nações Unidas, compartilhando a vida e o destino destas 150.000 pessoas. A nossa simples Escola Profissional ajuda os jovens a aprender um ofício para quando possam enfim deixar o campo. São pelo geral jovens e famílias do Sudão do Sul, de Ruanda, do Congo e de outros Países. Cá vieram, ao Norte do Quênia, e continuam a chegar, fugindo dos conflitos em seus países, da falta de segurança, da instabilidade nos seus povoados e da fome, que essas situações provocam. Neste contexto, pude ver o vídeo que, a título pessoal, registrou o P. Francisco Méndez, Superior da Inspetoria Salesiana na Venezuela, no qual ele afirma que o fez, porque acha que em consciência não podia calar. Com estas minhas palavras desejo expressar publicamente o meu total apoio ao P. Francisco Méndez e a todos os meus Coirmãos Salesianos, na Venezuela. E também o meu total apoio à grande Família Salesiana na Venezuela. Desejo expressar ao P. Francisco e aos meus Irmãos, como Superior Geral dos Salesianos de Dom Bosco no Mundo, que estou ao vosso lado, estamos ao vosso lado. Intuímos a dor que viveis e o desgaste a que tendes chegado. Faz muito que estamos rezando por essa maravilhosa Nação e por sua boníssima Gente. Temos rezado pelos mortos das últimas semanas, alguns dos quais vizinhos de obra salesiana. Hoje desejo exprimir-vos o nosso afeto, apoio e ajuda. Desejo dizer-vos – ao P. Francisco, aos Salesianos e à Família Salesiana, na Venezuela – que não estais sós, e que, das várias partes do mundo salesiano, nos preocupamos por vós, seguimos atentos ao que estais vivendo e bem conscientes de tudo o que vos está a acontecer”. Hoje mais que nunca vos acompanhamos. Invoco para todos vós e a vossa gente a Paz, aquela Paz que sempre e em qualquer lugar do mundo só è possível se provier da Justiça e do Respeito aos mais invioláveis direitos humanos de cada Pessoa. E imploro do Bom Deus que vos conceda aquela força - interior e espiritual - que dEle provém. Com verdadeiro afeto, P. Ángel Fernández A., sdb Reitor-Mor