Santidade Salesiana

Rodolfo Lunkenbein e Simão Bororo

 
 
ARQUIVO:

 

Servos de Deus Rodolfo Lunkenbein e Simão Bororo

 

Rodolfo Lunkenbein nasceu no dia 1° de abril de 1939 em Döringstadt, Alemanha. A leitura de publicações salesianas despertou nele o desejo de ser missionário. Foi enviado ao Brasil e fez o tirocínio prático na missão de Merúri, onde ficou até 1965. Foi ordenado sacerdote em 29 de junho de 1969 na Alemanha, escolhendo como lema “Vim para servir e dar a vida”. Voltou a Merúri, acolhido com afeto pelos bororos, que lhe deram o nome de “Koge Ekureu” (Peixe Dourado). Participou em 1972 da fundação do Conselho Missionário Indígena (CIMI) e lutou pela defesa das reservas indígenas. No dia 15 de julho de 1976 foi morto a tiros no pátio da missão salesiana juntamente com Simão Bororo.

Simão Bororo nasceu em Merúri em 27 de outubro de 1937 e foi batizado no dia 7 de novembro seguinte. Membro do grupo de bororos que acompanhavam os missionários salesianos à primeira residência missionária entre os Xavantes, na Missão de Santa Teresinha (1957-58), participou da construção das primeiras casas de tijolo para as famílias bororos, de Merúri (1962-64), tornando-se um hábil pedreiro, dedicando a sua vida a esse utilíssimo mister. Foi mortalmente ferido no tentativa de defender a vida do P. Rodolfo Lunkenbein, no dia 15 de julho de 1976. Antes de morrer, perdoou aos seus assassinos.

O lema sacerdotal que o P. Lunkenbein escolhera para a ordenação era “Eu vim para servir e dar a vida”. Em sua última visita à Alemanha, em 1974, sua mãe lhe pedia para estar atento, porque tinha sido informada dos riscos que seu filho corria. Ele respondeu: “Mamãe, por que te preocupas? Não há nada de mais belo do que morrer pela causa de Deus. Esse seria o meu sonho”.

Com o seu sacrifício, P. Lukenbein e Simão Bororo testemunharam que há entre nós Alguém que é mais forte do que o mal, mais forte de quem lucra com a pele dos desesperados, de quem pisa sobre os outros com prepotência... Os mártires não vivem para si, não combatem para afirmar suas ideias, e aceitam ter que morrer somente por fidelidade ao Evangelho. Ficamos admirados diante da fortaleza com que enfrentaram a prova. Esta fortaleza é sinal da grande esperança que os animava: a esperança certa de que nada e ninguém os podia separar do amor de Deus que nos foi dado em Jesus Cristo.

 

Preghiera

Deus da Vida e do Amor, em união com todos os Mártires da Igreja,
vos louvamos e agradecemos pela força que infundistes em seus corações
para darem a vida derramando o próprio sangue como o vosso Filho Jesus,
Testemunha Fiel.
Ele disse aos seus discípulos: “Não há maior prova de amor que dar a vida pelos amigos” (Jo 15,13)
Glorificai os vossos servos Pe. Rodolfo Lunkenbein e Simão Bororo com a coroa do martírio. Eles deram a vida como prova de amor maior
e seguindo Jesus com radicalidade, permaneceram fiéis até o fim!
Derramai também em nós o vosso Espírito Santo
para que a exemplo deles possamos percorrer o caminho do bem e da justiça.
Concedei-nos, Senhor nosso Pai, a graça que por sua intercessão vos pedimos.
Pelo mesmo Jesus Cristo Crucificado e Ressuscitado, vencedor da morte e por Maria nossa Mãe e Auxiliadora. Amém.

 
Para informação e obrigado

Endereço para a Postulação
Sacro Cuore, via Marsala 42
ROMA
postulatore@sdb.org

 

Orações
Rodolfo Lunkenbein et Simão Bororo - Novena e Preghiera per beatificazione
( kB)

 

Novena
Rodolfo Lunkenbein et Simão Bororo Novena
( kB)

 

Memórias
Rodolfo Lunkenbein et Simão Bororo processa Memórias
( MB)

 

Documentos
Rodolfo Lunkenbein et Simão Bororo vita
( kB)

 

Fotos
Foto de Rodolfo Lunkenbein et Simão Bororo
(2 MB)
Scarica il file