Santidade Salesiana

José Vandor

 
 
ARQUIVO:

 

 

 

Início do Processo Diocesano: 08-10-2003

Missionário em Cuba, se torna 'Padre Vandor'

José Wech nasceu em Dorog, Hungria, no dia 29 de outubro de 1909, de Sebastián Wech e Maria Puchner. Em 1936, chegando a Cuba como missionário, mudou o sobrenome de Wech em Vandor. Desde então será para todos o ‘Padre Vandor’.
Já em pequeno se distinguiu pela bondade e caráter conciliador. Sua formação iniciou com os PP. Franciscanos, dos quais aprendeu um verdadeiro amor pela pobreza, amor que ele conservou por toda a vida. Quando conheceu os Salesianos ficou tão impressionado pela espiritualidade e caridade pastoral de Dom Bosco que em 1927 começou o noviciado.

Diretor da Escola Agrícola de Moca

Professou em 13 de agosto de 1932. Estudou a Teologia em Turim, Itália, sendo ordenado sacerdote em 5 de julho de 1936, na Basílica de Maria Auxiliadora. Naquele mesmo ano foi mandado a Cuba, a Guanabacoa, onde ficou até 1940 como Conselheiro Escolar e Responsável pela Animação espiritual: era muito querido dos jovens, sobretudo dos mais pobres, aos quais dedicava uma atenção salesiana especial. Com apenas 31 anos foi nomeado Diretor da Escola Agrícola, de Moca, na República Dominicana: distinguiu-se ali por sabedoria e prudência.

Mestre de Noviços. Depois administrador

Foi por isso feito mestre de Noviços. Entretanto, em 1946 o P. Vandor chegou ao Colégio de Artes e Ofícios, de Camagüey, como administrador. Quase dez anos mais tarde, em 9 de dezembro de 1954 está em Santa Clara como responsável pela Igreja do Carmo e encarregado da construção da Escola de Artes e Ofícios. Demonstrou nessa nova situação todo o seu espírito de pobreza e o seu dinamismo salesiano, graças aos quais, sem dispor de um alojamento estável, coordenou os trabalhos de restauração da Casa Paroquial e da Igreja do Carmo, e mais os trabalhos de construção da Escola Profissional.

Procuradíssimo como diretor espiritual

O P. Vandor era um procuradíssimo diretor espiritual. Sua doçura e amabilidade abria o coração de jovens e adultos. Iniciada a Escola, o P. Vandor foi nomeado seu Diretor até 1961. Em 1965 será feito antes Reitor, depois Pároco, da Igreja do Carmo. Nesse período havia em Cuba uma guerra civil. O P. Vandor fez de tudo para consolar os doentes, os feridos e os pobres, arriscando a própria vida. Ofereceu-se também como mediador de paz entre as tropas de “Che” Guevara e do Coronel Cornelio Rojas, do exército do General Batista.
Dele se disse: “Foi um dos corações mais amáveis, delicado e nobre, do Clero de Vila Clara.

Um outro são Francisco de Sales por sua paciente doçura

O P. Vandor se pode aproximar de São Francisco de Sales, por sua paciente doçura, prudente dedicação, sabedoria iluminada na direção espiritual das almas; e de São João Bosco, por seu dinamismo apostólico, amor aos jovens pobres, espírito de fé, serena alegria, maneiras cordiais”.
Morreu em 8 de outubro de 1979.

 

FOTO

 

Recursos
SDL
em todos os idiomas
Scarica il file

 

Documentos
Biografia
ES
Scarica il file
Perfil
ES
Scarica il file